domingo, 3 de janeiro de 2010

é estranho como os dias passam depressa e não percebemos o quanto estamos desperdiçando grandes oportunidades de sermos muito e muito felizes, ou até mesmo felizes para sempre como tanto vimos nos filmes e novelas. Mas é que na realidade ficamos querendo muito acreditar na felicidade que pode nos vir e esquecemos de a encontrar em pequenas coisas, nos pequenos detalhes, ou até mesmo em um olhar.
Eu sei que toda essa conversa é um grande e bobo clichê, mas um clichê que gostamos de pensar, imaginar que a partir de agora o amor entrará nas nossas vidas, ou a grande oportunidade irá aparecer e então descobrimos a felicidade, o detalhe é que vivemos lado a lado da dita "felicidade" todos os dias de nossa vida, ela está na ligação que não esperamos, num acaso do destino que nos pega de surpresa ou num sentimentos que surgi derrepente.
O amor é uma grande ferramenta utilizada pela felicidade, se amamos somos felizes, mas a paz também é uma grande aliada, muitas pessoas passam a vida correndo atraz de uma felicidade que não existe, pois ela nada mais é a paz de ver que num dia chuvoso aparece o arco-íris, ver como a natureza agradece uma chuva abençoada e sentir o cheiro de terra que brota de suas entranhas.
Posso sim estar falando muitas besteiras, ou mesmo não estar falando nada com nada, mas pelo simples ato de pensar numa coisa em que pensamos todos os dias, que queremos muito e por querer tanto temos medo dela, é que se torna uma coisa interessante a ser falado nesse blog.
A procura da felicidade é uma constante procura de algo que não sabemos possuir.
Palavras e sentimos subentendidos possuem aos montes neste texto que para aqueles que não conseguiram enxergar sua essência parece apenas uma coisa vaga e meio sem sentido.
é meio sem sentido falar de uma coisa tão já falada, mas nunca desmembrada. Buscar a felicidade nas coisas simples da vida não é nenhuma novidade, a novidade é que temos medo de a encontrar... e sim se estou falando isso é porque os sentimentos camuflados nestas palavras meio vagas me consomem nesta noite de domingo em que penso em alguém... que talvez tenha roubado um pouco da minha felicidade, aquela que consegui arduamente encontrar na simplicidade da vida.
Por isso com esse texto quero que todos saibam que a felicidade não é abstrata, não é vaga, não é vazia, ela é inteira, ela é completa e ela é cheia desvios os quais sempre encontramos em seu caminho, mas ela é constante e segura...
ela está na chuva, no beijo, no sol que queima, no bom dia!, ela está na segunda-feira de trabalho, ou naquele colega de trabalho, que tal naquele menino que tem um lugar especial no msn???? ela está no homem mais lindo que você já vio, e naquele cara mais bacana que conheceu, naquela moça cheia de curvas, e naquela menina queitinha que vive tomando coca-cola... temos que saber enchergá-la e aceitar a felicidade como ela é... com suas extremidades... ela está na briga de namorados numa terça-feira e no momento de fazer amor na hora da reconcialiação!
é HORA DE ACEITAR A FELICIDADE COMO ELA É!!!

abraço a todos e até o próximo post!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário