quarta-feira, 25 de setembro de 2013

A utilidade de ser fútil

E num momento tudo parece mudar,
falta palavras, falta muito mais, falta coragem...

Durante anos vivemos rodeados de ideais, de posições
que no fim não nos levam a nada,
Vivemos ao redor de conceitos que nós próprios criamos e que nos entrelaçamos
de uma maneira que o caminho é virar nó. E ponto.

Hoje em dia a sociedade é criada em cima de biotipos, biofrases, biomodas,
e bioseilámaisoque, em vez de sermos nós, e não tentarmos ser mais do que
deveriamos ser. Mas não, inventamos conceitos, inventamos situação,
e tudo ao nosso redor vira uma tremenda confusão, pois temos o que queremos
nas redes sociais e não temos o que realmente queriamos possuir.

Números passam a minha cabeça e eu me perco no que escrevia
ainda tenho minha personalidade, ainda possuo ideais, ainda possuo...ainda...
Mas o que quero mesmo não são roupas bonitas secando no varal, nem calçados caros no armário...
Quero uma cabeça livre, quero ver flores na primavera, a ideia aqui é o contrário de superficial, é o contrário de prisões transparentes, quando alguém possui a liberdade, possui o mundo,
que não me falte palavras pra dizer que tem gente que é muito fútil e não vê as lindas criações que
estão a nossa disposição, que não me falte coragem para gritar bem alto viver é um DOM. fútil não é que gosta de se sentir bonito, fútil é quem não sabe reconhecer a verdadeira beleza.

E neste exato momento tudo muda novamente e se eu não soube reconhecer o que realmente é
importante, então passei pela vida para ser uma pessoa sem palavras e sem coragem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário