domingo, 19 de julho de 2015

Contando o Tempo

Alguns anos já passaram, não temos mais 15, não temos mais tanto medo e principalmente não temos mais tempo a perder...
  Essa semana lendo um livro da Marta (Medeiros) sobre a felicidade, vida, família, etc... alias ela é ótima em escrever sobre o cotidiano das nossas vidas, analisava uma leitura de um angulo bem particular, do angulo de escrever sobre que tempo temos para perder? Um ponto de interrogação pairou em mim e de lá não saiu.
   Recapitulando algumas páginas da vida podemos ver amizade,  amor,  alegria, podemos ver verdade e sim vimos muita felicidade do que foi vivido e vivenciado, a escola, o barzinho da faculdade, as amigas que partiram, os amigos que não voltaram, os amores que passaram e as oportunidades que deixamos passar.

 Pensei que esses momentos poderiam ser encarados como um Balanço Contábil.

 Vendo tudo isso, e mesmo assim, calculando e recalculando as perdas e os ganhos, no fim o saldo não nos surpreende e nem pode nos deixar tristes, alias a vida nos deixa um saldo positivo, balanço no azul.
  As perdas, gastos e desgastes serviram para nos fazer melhores, mais fortes e capazes... podemos lembrar do primeiro amor que não deu certo, da decepção de ver que ele não era perfeito e sim um ser humano normal e cheio de defeitos como todo mundo, nosso castelo desaba, aquela menina talvez fosse a mais bela, mas não a mais carinhosa....mas mesmo assim isso nos faz ver que nosso príncipe não precisa ser lindo e ter um cabelo maravilhoso, ele tem que ser trabalhador, honesto e querer encher a gente de beijinhos e abraços e aquela mocinha lá no canto da sala pode ser sim a mulher perfeita!
Dentre algumas perdas, os ganhos vem, quando nos redescobrimos pós adolescência, quando não amamos ninguém mais que nós mesmos.
Só aí nosso saldo já está positivo.... aí a coisa só melhora... contabiliza aí... formatura, faculdade, formatura, emprego, casamentos... ixi!!! Caramba! nossa vida está arrazando na economia sentimental!
Mas no caminho dessa trajetória de ganhos, tivemos algumas perdas, algumas muito valiosas, pessoas que perdemos mais que fisicamente, espiritualmente, uma ligação que partiu desse plano, e que agora compartilhamos com as estrelas.
Nosso balanço está mediano, e de repente a gente se decepciona com a profissão que escolhemos, o namoro não deu certo, levamos alguns puxões de orelha da vida... e perdas pequenas chegam? Não. Tudo depende de como encaramos isso, são perdas ou ganhos... Aquele emprego chato era mesmo ganho? Aquele namorado que só queria se divertir com outras era ganho? Aquela esposa sem tesão, aquele marido sem carinho... até que ponto isso é um saldo negativo na contabilidade da vida.
Podemos ser bem mais que isso, podemos ter bem mais da vida, não temos tempo a perder como disse a Marta, e ainda para citar mais um grande mestre, Lulu Santos... "Hoje o tempo voa amor, escorre pelas mãos...não há tempo que volte, vamos viver tudo que há para viver, vamos nos permitir...." pois entre saldos positivos e negativos só temos uma certeza, o nosso único saldo negativo mesmo dessa vida é o tempo. Corra!